sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Deveríamos considerar comer nossos animais de estimação para salvar o planeta, dizem autores em seu novo livro.

aquecimento global | Futuro de seus filhosImage by Carlos Eduardo R. via Flickr

Cachorros de estimação são tão ruins para o planeta quanto dirigir um 4x4, alega livro.


Os donos deveriam considerar viver sem, reduzir o tamanho ou mesmo comer seus animais de estimação para salvar o planeta, de acordo com um novo livro.

Por Paul Stokes
Publicado em 23/10/2009


Ele alega que a pegada de carbono deixada pelos animais domesticados é desproporcional ao tamanho de suas patas.

Um cachorro de tamanho médio tem o mesmo impacto de um Toyota Land Cruiser dirigido 6.000 milhas ao ano, enquanto um gato é equivalente a um Volkswagen Golf.

Mas coelhos e galinhas são eco-amigáveis porque eles proporcionam carne para seus donos enquanto um canário or um peixe dourado tem pouco efeito no meio ambiente.

Ao mesmo tempo um par de hamsters faz o mesmo dano que uma televisão de plasma em funcionamento, sugere o livro Time to Eat the Dog: The Real Guide to Sustainable Living (Hora de Comer o Cachorro: O Verdadeiro Guia para um Viver Sustentável).

Os autores Robert e Brenda Vale baseados na Nova Zelândia basearam suas descobertas na quantidade de terra necessária para produzir alimentos para animais de estimação variando de periquitos, a gatos e cachorros.

Eles que um collie normal come 164 Kg de carne e 95 Kg de cereais por ano, dando um alto impacto sobre o planeta.

Mas um casal de coelhos pode produzir 36 filhotes anualmente, que proporcionariam 72 Kg de carne e ajudariam a diminuir a pegada de carbono do dono.

O Sr. Vale, um arquiteto que se especializou em viver sustentável. disse:"Não há receitas no livro. Não estamos na prática dizendo que é a hora de comer o cachorro.

Estamos apenas dizendo que precisamos pensar a respeito e saber que o (ecológico) impacto de algumas das coisas que fazemos e que damos por certas.

Ele explicou que as questões de sustentabilidade requerem que façamos escolhas que são "tão difíceis quanto comer seu cachorro".

Mr. Vale acrescentou:"Uma vez que você veja onde cães e gatos se encaixam no equilíbrio geral das coisas, você deveria decidir ter o gato mas não ter também dois carros e os três banheiros e ser você mesmo um comedor de carne."

Fonte: www.telegraph.co.uk

Nota: Mais uma ideia estapafúrdia, o problema é que há pessoas que levam isso a sério e até tentam convencer os outros a segui-los.

Reblog this post [with Zemanta]

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

George Soros defende reforma global com a China no papel principal

WASHINGTON - MARCH 26:  Soros Fund Management ...Image by Getty Images via Daylife

Esta Notícia foi postada no Portal Terra

Invertia
Segunda, 26 de outubro de 2009, 12h30

Fonte: Redação Terra
Economia internacional
Soros defende reforma global com a China no papel principal

O megainvestidor George Soros, 79 anos, defende uma reforma profunda no sistema financeiro internacional com a China tomando dos Estados Unidos o papel de protagonista econômico. Em entrevista concedida ao jornal britânico Financial Times, Soros afirmou também que a crise que abalou o mundo a partir de setembro do ano passado já ficou para trás, mas adverte que a fraqueza econômica americana pode levar a uma recaída, uma espécie de segunda etapa da crise.

Soros, que largou sua aposentadoria para retomar o leme de seus negócios durante a crise, defende que o atual sistema financeiro está quebrado e sem credibilidade para seguir em frente, após colecionar crônicos desequilíbrios. Segundo ele, o ponto central da reforma teria de passar pelo reconhecimento da China como a dona da nova ordem econômica.

"A China participa do FMI (Fundo Monetário Internacional), mas não tem o voto correspondente ao seu peso econômico. É preciso dar à China o papel que cabe a ela e fazer com que ela participe e concorde com a reconstrução do sistema no papel principal", afirmou o financista.

Outro pilar da reforma, segundo Soros, é um novo sistema de moedas. Ele defende que o FMI seja o fiador do processo, criando uma cesta de moedas (que incluiria o real) em substituição ao dólar, hoje profundamente desvalorizado em relação às outras moedas.

Sobre o horizonte pós-crise, Soros diz acreditar que o mundo não está livre de uma recaída. Em sua análise, o megainvestidor afirma que não enxerga por onde a economia dos EUA possa voltar a crescer em curto prazo. Isso porque o consumo dos cidadãos daquele país, que responde por 70% do PIB americano, foi duramente afetado pela crise. Além de as pessoas estarem comprando menos, há problemas estruturais nos bancos dos EUA e um "buraco" ainda desconhecido no ramo imobiliário.

Para Soros, essa conjunção de fatores coloca em risco o atual otimismo do mercado financeiro. "As bolsas estão aproveitando uma sobra de dinheiro que existe no mundo e reproduzem otimismo. Mas esse clima pode ser frustrado se os EUA não voltarem a crescer de fato."

Nota: Vejam só a cara de pau desse homem, George Soros é um dos mais poderosos mega investidores do mundo, fez fortuna apostando contra moedas nacionais e provocando grandes crises financeiras internacionais nas décadas de 80 e 90, ele, como bom membro do Grupo Bilderberg, e seguindo a risca o roteiro de destruir os Estados unidos, propõe que a China, onde não há liberdades civis, e onde vigora uma economia do tipo fascista, seja o novo grande protagonista econômico a ditar as regras do jogo, para pessoas desse quilate, democracia, liberdades civis, nada significam. Como está escrito nos Protocolos dos Sábios de Sião, quando a hora chegar tudo aquilo que foi concedido pelos conspiradores, todos os direitos que as pessoas tinham como certos, serão revogados.

Esta hora está chegando, é o que tudo indica.

Uma economia como a chinesa é o sonho dos Illuminati, o governo tem total controle sobre os fabricantes de produtos e interfere diretamente nos meios de produção, determinado quem pode produzir o que e em qual quantidade, aparentemente a China está adotando os mecanismos capitalistas de produção, mas a verdade é que a economia chinesa é um híbrido onde a política socialista domina sobre uma economia de liberdade vigiada.

Se agora estamos vendo um dos grandes czares do sistema financeiro internacional advogando que a China se torna a protagonista do sistema econômico mundial é porque eles já têm o domínio sobre a economia e a política do país, a despeito do que é mostrado ao público em geral.

Vejamos o que diz os Protocolos dos Sábios de Sião, que parece até uma cartilha e está sendo executado com extrema precisão:

“Quando vier o nosso reinado, nossos oradores raciocinarão sobre os grandes problemas que emocionaram a humanidade, para levá-la afinal ao nosso regime salutar.

Quem duvidará, então, que todos esses problemas foram inventados por nós de acordo com um plano político que ninguém adivinhou durante séculos?”

Protocolos dos Sábios de Sião, cap. XIII

Fica no ar a pergunta.




Reblog this post [with Zemanta]

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Gripe suina: Quem lucra?

Al GoreAl Gore via last.fm

Gripe suina: Quem Lucra?

Por James Corbett
Fonte: Relatório Corbett

Como Gore, Powell, Rumsfeld e outros multimilionários estão em condições de se beneficiar da histeria da gripe suina...

A bem conhecida injunção do detetive para "seguir o dinheiro" pode igualmente bem ser aplicada as investigações da pandemia da gripe como pode ser aplicada as investigações criminais. Realmente, surpreendente como possa ser, há pessoas em posições de poder e influência que estão em condições de se beneficiar diretamente da corrente histeria da gripe suina.

Enquanto os preços globais das ações e commodities estão caindo devido aos estragos potenciais que uma pandemia poderia causar nos mercados, um artigo da Reuters da última sexta-feira destaca que a firma de capital de risco Kleiner Perkins Caufield & Byers está pronta para colher maciços lucros do pânico. A Kleiner Perkins gerencia um fundo de Bio Defesa cujo portfólio inclui duas companhias (uma fabricante da enzima de bloqueio viral Biocryst Pharmaceuticals e o fabricante da vacina viral Novavax) que estão vendo uma ascensão no preço das ações enquanto o medo da gripe suina cresce. Assim quem são os sócios notáveis da Kleiner Perkins? Al Gore é um deles e Colin Powell é outro. Bill Joy (co-fundador da Sun Microsystems e autor de um controverso artigo na revista Wired de 1999 sobre como os principais cientistas do mundo estão discutindo como os humanos podem ser exterminados no futuro próximo por terem se tornado obsoletos em um novo paradigma pós-humano) é outro nome bem conhecido que tem lucrado com o atual pânico da gripe suina.

Um outro notável ganhador financeiro das apostas na gripe suina é Donald Rumsfeld, infame investidor em e ex-diretor da Gilead Sciences, uma firma que recebe royalties da fabricante do Tamiflu, a Roche. Agora que a mídia está incluindo anúncios grátis para o Tamiflu em virtualmente toda história de gripe suina que eles publicam (mencionando pelo nome como um dos mais efetivos tratamentos contra a doença), o preço das ações da Gilead aumentaram 5% no comércio pré-mercado e é provável estimar aumentos posteriores.

É claro que o presidente Obama não é estranho ao ganhar dinheiro com o medo da gripe. Em 2005, logo depois de ser eleito para o senado dos Estados Unidos, formou um truste que investiu na AVI BioPharma, a companhia que estava trabalhando no tratamento da gripe aviária. Algumas semanas depois de investir na AVI BioPharma, ele co-escreveu um artigo no New York Times mostrando a ameaça da pandemia da gripe aviária e apresentou uma lei ao Senado para gastar mais dinheiro federal em medidas de prevenção da gripe aviária. O preço das ações da AVI BioPharma aumentaram e Obama recebeu 28% em dinheiro dos lucros quando o furor sobre um potencial conflito de interesses irrompeu.

Esteja certo, o fato de que alguém esteja em condições de ganhar financeiramente de algo como a gripe suina não significa que eles tinham as mãos em sua origem ou em estimular o pânico depois. Contudo, quando a pessoa que está em condições de lucrar são alguns dos mais influentes políticos e figuras públicas do mundo, quando a gripe suina em questão é uma nunca antes vista mistura de vírus humanos, aviário e de porco da América do Norte, Europa e Ásia, e quando a mídia está ativamente contribuindo para o ganho das ações de empresas privadas pelo favorecimento do nome da marca dos produtos como a única cura para esse vírus novinho em folha, então talvez estejamos ao menos justificados em perguntar a essas pessoas o que eles sabem e quando eles souberam.

Fonte: nwoobserver.wordpress.com

Tradução e adaptação: O Observador




Reblog this post [with Zemanta]

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

O Presidente Barack Obama declara emergência nacional por causa da gripe suina; Mas por quê?

Big Brother 1 (U.S.Image via Wikipedia

O Presidente Obama declara emergência nacional por causa da pandemia de gripe suina; Mas por quê?

Por Mike Adams, o guarda da saúde, editor da NatruralNews


(NaturalNews) - de acordo com o CDC, as infecções pela gripe suina já atingiram o pico, e a pandemia já estava acabando. O momento de pico da infecção foi em meados de outubro, onde uma em cada cinco crianças nos Estados Unidos experimentou a gripe, diz o CDC. Fora os quase 14.000 casos de gripe testados durante a semana terminada em 10 de outubro de 2009, 99,6% daqueles estavam com a gripe A, e na vasta maioria desses foram confirmadas infecções com a gripe suina H1N1. (http://www.cdc.gov/flu/weekly)

Ainda que a pandemia H1N1 pareça ter atingido o pico, o Presidente dos Estados Unidos Barack Obama declarou agora emergência nacional por causa das infecções da gripe suina. O raciocínio por trás de tal declaração? De acordo com a Casa Branca, é que foi planejada para "permitir aos hospitais cuidar melhor do aumento de pacientes" permitindo que eles contornem certas leis federais.

Os poderes de emergência superam a Carta de Direitos

Esta é a explicação pública para isso, mas a verdadeira agenda por trás dessa declaração pode ser bem mais sinistra. A Declaração de emergência nacional dá
imediatamente as autoridades federais perigosos novos poderes que podem agora ser reforçados com o cano de uma arma, incluindo:

* O poder de forçar vacinações obrigatórias contra a gripe suina sobre a população.

* O poder de prender, por em quarentena ou "involuntariamente transportar" qualquer um que recusar a vacina da gripe suina.

* O poder de por em quarentena uma cidade inteira e interromper todo movimento de entrada ou saída desta cidade.

* O poder de entrar em qualquer casa ou escritório sem mandado de busca e ordenar a destruição de qualquer pertence ou qualquer estrutura considerada como uma ameaça a saúde pública.

* A efetiva anulação da Carta de Direitos. Seu direito de um processo adequado, de estar a salvo de busca e captura pelo governo, e de permanecer em silêncio para evitar auto-incriminação estão todos nulos e vazios sob a declaração presidencial de uma emergência nacional.

Nada disso significa que os agentes federais vão marchar de porta em porta prendendo as pessoas de arma em punho se elas recusarem a vacina, mas eles poderiam se quisessem. Seus direitos como americanos não são mais reconhecidos sob esta declaração de emergência nacional.

Mas qual emergência?

A declaração desta emergência nacional parece suspeita desde o inicio. Onde está a emergência? O número de pessoas mortas pela gripe suina nos Estados Unidos é bem menor do que o número de pessoas mortas cada ano pela gripe sazonal, de acordo com as estatísticas do CDC. Obviamente as pessoas não estão caindo mortas aos milhões de gripe H1N1. A maioria das pessoas está pegando sintomas leves de gripe e poucos dias depois estão bem.

Então onde está a emergência?

A única emergência que posso ver é a emergência fabricada pela Big Pharma para vender mais vacinas. Declarando uma emergência nacional sobre a pandemia do H1N1, Obama está jogando direto nas mãos deles.

Eu acho o tempo de tudo isso curioso. Dois dias atrás, Nova York desistiu de seus esforços de requerer vacinação obrigatória de trabalhadores da saúde. Isso foi planejado para neutralizar um grande número de protestos planejados pela liberdade de consciência do pessoal da saúde que não querem produtos químicos impostos pelo governo bombeados em suas veias.

Os protestos planejados para Nova York teriam atiçado ainda mais a resistência entre os trabalhadores da saúde pelo país, e tivesse sido permitido que continuassem, teria resultado em um enorme movimento reacionário através do país contra as vacinas da gripe suina. Retirando o mandato da vacina e pondo a culpa na falta de vacinas (http://www.naturalnews.com/0273313_N...), e então tendo Obama declarado uma emergência nacional, nossos líderes estaduais e nacionais detiveram os protestos e puseram no lugar um mandado Big Brother pró-vacina que pode ser reforçado com o cano de uma arma.

A Big Pharma deve estar agradecida por tudo isso. Com esses poderes emergenciais no lugar, tudo que é necessário para forçar a vacinação sobre toda a população é um grande suprimento de vacinas - e isso está chegando em novembro.

Sobre o autor: Mike Adams é um pesquisador de saúde natural e autor com a missão de ensinar saúde pessoal e planetária para o público.

Fonte: NaturalNews.com

Tradução e adaptação: O Observador









Reblog this post [with Zemanta]

Mortes pela vacina da gripe suina são relatadas na Europa

Influenza A - H1N1 - Gripe suínaImage by Fernando Freitas - FF via Flickr

Mortes pela vacina da gripe suina são relatadas na Europa.

Os fabricantes da vacina atribuem a alta taxa de efeitos colaterais aos novos aditivos da vacina.

Por Steve Watson
Infowars.net
Sexta-feira, 23/10/2009

Enquanto os governos europeus vão adiante com os programas de vacinação em massa contra a gripe suina, relatórios da Hungria e Suécia sugerem que algumas pessoas morreram pouco tempo depois de tomar a vacina H1N1.

O Budapeste Times está relatando que uma mulher de 64 anos de idade morreu apenas dois dias depois de receber a injeção H1N1.

Uma autópsia foi programada para determinar se há uma ligação entre a vacina e a morte da paciente, que sofria de uma crônica, porém leve, doença cardíaca, de acordo com o artigo.

Até agora 4 pessoas morreram de gripe suina na Hungria.

A vacina H1N1 do país está sendo fornecida por um fabricante local da vacina a Omninvest. O governo de lá encomendou 6 milhões de doses para cobrir cerca de 60% da população da Hungria que é de 10 milhões de pessoas.

As vacinas da Omninvest são cultivadas em ovos e aditivadas com fosfato de alumínio. A empresa diz que somente uma dose da vacina é necessária. Embora eles tenham conduzido experiências limitadas com o vírus H1N1, a vacina deles é baseada em testes com a cepa da gripe aviária.

De acordo com o relato do Budapest Times, a Omnivest ameaçou processar devido a alegações de que sua vacina contra a gripe suina poder ser perigosa. Contudo, o conselheiro chefe do Ministro da Saúde da Hungria, sugeriu na semana passada que a vacina não é adequada para crianças pequenas e mulheres grávidas, a despeito do fato de que a injeção está sendo oferecida de forma gratuita àqueles dos grupos de "risco".

Relatos também estão emergindo da Suécia que sugerem que mais mortes têm ocorrido.

De acordo com o jornal sueco Aftonbladet, especialistas médicos disseram que um homem na faixa dos cinquenta anos morreu com suspeita de ataque cardíaco 12 horas depois de receber a injeção de Pandemrix, que é fabricada pela GlaxoSmithKline.

O jornal também relatou que uma mulher de 65 anos de idade morreu dois dias depois de receber a picada, é relatado que ela sofria de uma "condição do músculo".

Aqui está uma tradução grosseira do artigo via Google translator:

A vacina da gripe deve ser muito forte.

Idosos, e pessoas seriamente doentes devem ser dissuadidas da vacinação.

Duas pessoas seriamente doentes morreram até agora depois de receber a vacina contra a gripe suina.

O MPA está agora investigando se ela deve precisar de novo aviso de recomendações contra a auto imunização de idosos e pessoas doentes.

Duas pessoas seriamente doentes morreram até agora depois de receber a vacina da gripe. Uma delas é um homem de Västernorrland que teve um ataque cardíaco. O MPA não pode dizer se sua morte é uma reação a vacina. Uma autópsia será feita para esclarecer a causa do ataque cardíaco.

"É muito difícil avaliar. Alguém pode considerar que há uma conexão. É uma coisa pessoal como avaliar,” disse Lennart Walden Lind, médico da MPA.

Uma mulher de 65 anos de idade com uma tuberculose grave da área de Estocolmo foi encontrada morta dois dias depois de ter recebido a vacinação. O caso será investigado pelo MPA.

Deveriam as pessoas seriamente doentes não se vacinar?

Aí está uma questão apropriada, e estamos trabalhando em algo para investigar. Nos estudos clínicos realizados antes da vacinação, não há muitos desses raros pacientes representados. A experiência de como eles reagem virá mais tarde. Estamos trabalhando agora mesmo com avisos de precaução, "disse Lennart Walden Lind.

A vacina contra a gripe suina difere daquela da gripe comum, pois a maioria dos assim chamados aditivos são superiores. É o componente que dispara o sistema imunológico da pessoa que recebe a vacina.

"Isso pode explicar que um pode experimentar reações um pouco fortes do que em uma vacina convencional. Se você tiver muitos fatores de risco que permita se sentir mal por um aumento de febre, pode ser que você deva se abster. Parece além disso, que os idosos frequentemente caem doentes de gripe. Isto é algo que estamos investigando e não há cronograma sobre quando saberemos a resposta," disse Lennart Walden Lind.

Outros relatos da Suécia sugerem que 190 pessoas, incluindo muitas enfermeiras tinham relatado efeitos colaterais da vacina às autoridades médicas (MPA).

"Até agora, as autoridades receberam mais de 190 relatos tanto do serviço de saúde quanto de indivíduos particulares. De longe o mais comum são dores no braço. Depois sintomas leves de gripe como febre, dor muscular, dor no estômago, dor de cabeça, tontura e fadiga." Relata o site de notícias sueco DN.se.

O relato continua afirmando que GlaxoSmithKline está atribuindo a taxa mais alta do que a normal de efeitos colaterais aos aditivos da vacina.

"De acordo com o fabricante da vacina GlaxoSmithKline deve ser um em cada dez dos vacinados que têm problemas, o que é levemente mais do que a vacina da gripe sazonal comum. Isto é por causa da substância na vacina que dispara a resposta imunológica na hora.” Lê-se na tradução.

A vacina Pandemrix da GlaxoSmithKline contém o aditivo esqualeno.

As vacinações começaram em toda a Europa um pouco mais de uma semana atrás. A Suécia foi um dos primeiros países a começar a vacinação, em 12 de outubro.

De acordo com o Centro de Prevenção de Doenças Europeu baseado em Estocolmo, houve um total de 230 mortes ligadas a H1N1 na Europa desde abril, com 50% delas ocorrendo no Reino Unido.

Fonte: prisonplanet.com

Tradução e adaptação: O Observador

Reblog this post [with Zemanta]

sábado, 24 de outubro de 2009

A auto-imolação americana, verdadeiramente algo para se ver.

 Celebrating Our Nation


A auto-imolação americana, verdadeiramente algo para se ver

Stanislav Mishin | 21 Outubro 2009
Internacional - Estados Unidos

A verdade infeliz aqui é: os republicanos e tories são os mencheviques para os bolcheviques democratas e trabalhistas. Em outras palavras, são os companheiros de viagem ligeiramente menos radicais que são burros demais para perceber que, uma vez que sua utilidade acabe, irão para os mesmos campos de concentração aos quais ajudarão a mandar a verdadeira oposição. Está para nascer ralé mais merecedora. É claro que metade dos idiotas úteis nos agrupamentos bolcheviques irão para estes mesmos campos.

Como sabem meus leitores, sou um fã de economia e de história, assim como de política, uma combinação que forma alguns ciclos muito interessantes de se estudar, discutir e argumentar. Nenhum é tão interessante quanto a morte de grandes nações, porque aí há sempre a autodestruição que vem antes das desintegrações e invasões finais. É como dizem: Roma não caiu para os bárbaros; tudo o que estes fizeram foi chutar os portões apodrecidos.
Pode-se dizer seguramente que a última vez que uma grande nação se destruiu através de sua própria húbris e estultice econômica foi a jovem União Soviética (apesar de que, no fim, a União Soviética tardia ainda morria pela mão econômica). Agora temos a oportunidade de ver os americanos fazerem a mesma coisa a si próprios. O mais incrível, é claro, é estarem simplemente repetindo os erros fracassados do passado. Esperaria-se que seus companheiros de viagem em suicídio, os ingleses, teriam se manifestado a esta altura, mas, infelizmente para os ingleses, seu sistema educacional é uma piada ainda maior que o dos americanos.

Enquanto recuperam um pouco o fôlego de tanto ruminar a infindável propaganda da recuperação, não importando que todo índice real aponte para a morte e destruição, os marxistas americanos notaram que os franceses e alemães saíram da recessão, e que a Rússia e Itália também estão se saindo bem. É claro que estes fatos foram embalados em seu mantra estupefaciente nonstop de "recuperação" e zumbificação-esperança-mudança. O que é ignorado, é claro, é que nós e as outras três grandes nações todos cortamos nossos impostos, cortamos nossos gastos, facilitamos a vida dos pequenos negócios... em outras palavras, o oposto exato da anglosfera.

O que nos leva aos "Créditos de Carbono" (Cap & Trade). Nunca na história da humanidade plano mais idiota foi sugerido e vendido com maiores mentiras. Energia é o diferencial para toda e qualquer economia, seja energia braçal, animal, lenha, carvão ou nuclear. De que outra forma alimenta-se a indústria que melhora a vida humana (a não ser, é claro, que esteja fazendo as bombas que acabam com esta vida humana, mas este é um tópico diferente). Nunca na história, com a exceção da isolação auto-imposta dos japoneses no século XVII, um governo ativamente barrou seu povo da atividade econômica e da indústria.

Nem os sovietes jamais criaram tamanha idiotice. A grande fome do final dos anos 20 foi causada pelo oposto, uma vez que os sovietes coletivizaram as fazendas para forçar o êxodo dos camponeses para as novas e grandes indústrias. É claro que isto teve resultados desastrosos. De modo que se deve perguntar: os poderes em Washington e Londres são degenerados ou satanicamente malignos? Onde está a oposição? Onde estão os republicanos na América e os tories na Inglaterra?

A verdade infeliz aqui é: os republicanos e tories são os mencheviques para os bolcheviques democratas e trabalhistas. Em outras palavras, são os companheiros de viagem ligeiramente menos radicais que são burros demais para perceber que, uma vez que sua utilidade acabe, irão para os mesmos campos de concentração aos quais ajudarão a mandar a verdadeira oposição. Está para nascer ralé mais merecedora. É claro que metade dos idiotas úteis nos agrupamentos bolcheviques irão para estes mesmos campos.

Uma idiotice explícita dos Créditos de Carbono na América serão os aproximadamente 19 centavos adicionais por litro de gasolina, que é um aumento assaz grande na carga tributária, ainda que indiretamente. É claro que isto irá não apenas ferir no bolso os vassalos trabalhadores americanos nos postos, mas também feri-los-á em tudo que comprarem e fizerem, uma vez que a América quase não tem ferrovia real para, mesmo parcialmente, deslocar o custo de transporte de mercadorias.

Mas como isto irá progredir? Muito simples, e a cadeia de eventos já foi executada com bastante frequência.

Primeiro, os vassalos começarão a berrar contra o preço do combustível e contra o preço de todas as mercadorias. O governo, sempre prestimoso para não se responsabilizar, irá apontar o dedo para as refinarias e companhias de petróleo por exploração do povo. Ele fará exigências para que cortem preços, o que obviamente significa trabalhar no prejuízo. Quando as usinas começarem a fechar ou se mudar para o exterior, serão chamadas de criminosas e sabotadoras. Suas instalações serão nacionalizadas para que o governo possa mostrar como é que se faz as coisas direito. Racionamentos se seguirão, assim como julgamentos espetaculares, e isto enquanto o Dólar aguentar e as nações estrangeiras ainda quiserem vender petróleo e gasolina por algo que não seja ouro, prata ou outros recursos mais sólidos.

Quando a comida aumentar de preço, e certamente irá, uma vez que o díesel que o fazendeiro usa aumentará, assim como seus fertilizantes, o governo berrará que os fazendeiros estão fazendo cartel, e, portanto, solapando a ação dos iluminados. Haverá confiscos de todos os cultos alimentícios, enquanto os fazendeiros terão cotas de produção para cumprir ou ter suas terras novamente nacionalizadas. Não acredita em mim? Olhe para as pessoas administrando vossos governos e pergunte-se: eles preferem tomar a terra de alguém ou admitir que pisaram na bola e atrapalharam tudo? Após certo ponto, apenas as fazendas corporativizadas restarão ─ comida pelo oligarca ─ assim como as fazendas-fábrica. Haverá sobra de dissidentes para lavrá-las.

Isto irá, é claro, espalhar-se de ramo para ramo e, dentro de um prazo relativamente curto, vocês irão viver o novo sonho fracionário, que é uma fração do que vocês têm agora. Mas, pelo lado bom, finalmente seus filhos, trabalhando para parcerias governo/oligarca, poderão competir adequadamente com os chineses para alimentar as demandas da Europa e América Latina. Mas isto irá levar pelo menos uma ou duas gerações, não sem antes uma ou duas Revoluções Culturais junto.



Tradução: David B. Carvalho

Do blog Mat Rodina (Мать Родина, que significa "Pátria Mãe" em russo).

Reblog this post [with Zemanta]

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Madeline Albright confrontada sobre os crimes do Grupo Bilderberg e da Nova Ordem Mundial incluindo o 9/11

Madeline AlbrightImage via Wikipedia

Madeline Albright confrontada sobre os crimes do Grupo Bilderberg e da Nova Ordem Mundial incluindo o 9/11.

Madeline Albright foi confrontada e exposta como uma figurante da Nova Ordem Mundial por uma coalizão de ativistas da WeAreChange de Ohio e Chicago. Enquanto os ativistas tentavam perguntar a ex-Secretária de Estado algumas questões investigativas, eles foram empurrados e agredidos pelo séquito de Albright.

Albright falou na livraria Borders em Chicago na quarta-feira, 7 de outubro, para vender seu livro e fazer propaganda para o público.

Albright, que é diretora do Conselho de Relações Exteriores (CFR, em inglês) controlado pelo Rockefeller/Governo Britânico, foi informada que o povo americano não apoiaria um outro ataque de falsa bandeira como o de 9/11.

Anthony da WeAreChange de Ohio se levantou e perguntou a Albright sobre sua aparição na conferência do Grupo Bilderberg em 2008 em Chantilly, na Virgínia. A princípio, Albright mentiu e disse que ela não foi a reunião, mas testemunhas tinham filmado sua chegada ao encontro secreto.

Quando notificada desse fato ela voltou atrás e disse que "entrou para apanhar alguém".

Albright pode estar hesitante em admitir sua ligação com o Grupo Bilderberg porque as evidências mostraram que os membros do Grupo Bilderberg intencionalmente planejaram quebrar a economia dos Estados Unidos com o objetivo de consolidar o poder econômico deles. No filme "The Obama Deception" de Alex Jones, o autor Daniel Estulin declarou que na conferência de 2006 os membros do Grupo Bilderberg admitiram que o grupo estivesse planejando manipular o mercado de habitação, criar flutuações do preço do óleo, e finalmente quebrar a economia.

Sua presença na reunião do Bilderberg também seria considerada uma violação a Lei de Logan, que proíbe cidadãos dos Estados Unidos de interagir com governos estrangeiros sem a autorização dos Estados Unidos.

Albright e seu séquito pareciam pensar que ela somente ia pegar questões superficiais de um público servil. Anthony da WeAreChange de Ohio declarou enfaticamente, "foi muito interessante logo que eu perguntei a ela sobre Bilderberg, eles disseram 'você não pode fazer nenhuma pergunta' e me empurraram para longe!" Ambos Anthony e Steve da We Are Change foram imediatamente retirados assim que começaram a questionar Albright.

Fonte: www.prisonplanet.com


Reblog this post [with Zemanta]

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

A máquina de relações públicas para o complexo da vacina.

Influenza A - H1N1 - Gripe suínaImage by Fernando Freitas - FF via Flickr

A máquina de relações públicas para o complexo da vacina.
O papel do CDC

Por Richard Gale e Gary Null


Uma dura lição que deveríamos ter aprendido após o colapso de Wall Street e a manipulação da ajuda pelo governo é que não há razão, seja qual for, para nós sacrificarmos nossa boa fé e confiança em ex-banqueiros que agora dirigem o Tesouro e a Reserva Federal. E agora que a temporada de gripe se prepara para começar em meio a muita fanfarra e predições de desgraça devido ao novo vírus da gripe H1H1, há suficiente informação emergindo para levantar sérias dúvidas de que as autoridades de saúde da nossa nação estão realmente servindo a saúde pública, em vez de interesses comerciais.

Se a temporada de gripe for de acordo com a programação, o complexo industrial da vacina estará pronto para se unir a Wall street para um ano de roubo recorde. Nós também provavelmente testemunharemos enormes bônus para os executivos da indústria farmacêutica e talvez até toalete banhado a ouro. Até se a bola de cristal das estatísticas do CDC for usada para predizer uma galopante infecção de gripe suina se transformar em um completo fracasso - que seria apenas mais um somado a muitas outras predições que fracassaram desde 1976 - seria, todavia, um fracasso muito lucrativo, como foi o colapso da economia para o cartel dos bancos. A indústria da vacina tem até agora recebido pedidos na faixa de 3 bilhões de doses durante o curso da temporada da gripe que está chegando. A Organização Mundial da Saúde gostaria de vacinar dois terços (4 bilhões) da comunidade global, e os Estados Unidos sozinhos estão gastando $ 2 bilhões para estocar acima de 250 milhões de doses para a nação.

Nos Estados Unidos, tais lucros nunca poderiam ser consumados sem uma dinâmica iniciativa de comercialização para convencer os americanos de que as vacinas os manterão protegidos e vivos. E qual melhor máquina de relações públicas para o complexo da vacina, e seus apoiadores nos seguros de saúde e instituições médicas profissionais, do que nosso próprio Centro de Controle de Doenças e Departamento de Saúde e Serviços Humanos? Ainda melhor, os dólares de nossos impostos estão aí para pagar por tudo isso. Pagamos pelo conforto de saber que a campanha de desinformação do CDC continuará a nos assustar nas maiores redes de televisão e no New York Times. Podemos também assegurar que aos fabricantes de vacinas que de uma vez por todas eles estão protegidos de responsabilidade em caso de danos sérios da vacina da gripe.

Contudo, o governo tem um bocado de frascos de vacina para distribuir, portanto, o CDC precisa sustentar a ficção de numerosos velhos morrendo em lares assistenciais, mães grávidas sem vacinação e crianças enfrentando complicações ameaçadoras, e o resultado de doentes e mortos queima em nosso subconsciente nacional. Tudo isso é parte do roteiro do CDC para apressar os cidadãos para os seus médicos e para os Wal-Marts para serem vacinados.

Peter Doshi, enquanto estava em Harvard em meados dos anos 2000, publicou um estudo devastador no Jornal Britânico de Medicina que sistematicamente revela a falha da ciência especulativa usada para publicar as estatísticas e taxas de mortalidade de nossas agências de saúde. Sua análise mexeu o bastante com as autoridades de saúde para garantir que doze cientistas do CDC e do Instituto Nacional de Saúde o contestassem sem sucesso. Agora no MIT, Doshi continua sua análise da importância dos dados da mortalidade da gripe no século e da manipulação de dados da gripe, como os números anuais da gripe, tais como os números de 36.000 mortes anuais de gripe que ouvimos e lemos repetidamente. Embora este número mágico seja para todos os propósitos práticos conjurados alquimicamente até através de modelos matemáticos de 2003, continua a ser o mais sagrado número no vocabulário do CDC em toda temporada de gripe. Doshi tira a conclusão, publicada no Jornal Americano de Saúde Pública, de que interesses comerciais estão desempenhando o papel da ciência tanto na indústria como no governo.

A desconstrução da ciência pedaço de cereja do CDC e uma crescente comunidade antivacinação são alguns dos obstáculos que as autoridades de saúde enfrentam. No entanto, nenhuma estratégia de relações públicas pode ter um sólido punho multimídia sobre os cidadãos americanos sem que os formadores de opinião sirvam de gnomos para o complexo da vacina e a pesada investida de nossas agências governamentais de saúde, que estão para ser enterradas pela aquisição de milhões de frascos de vacina ávidos por distribuição. Esse esforço requer tropas de choque, como o profeta pró-vacina Dr. Paul Offit, o criador da vacina do rotavírus e um crítico incondicional contra qualquer cientista que descubra uma associação entre as vacinas e severas desordens neurológicas. Dr. Offit declarou publicamente em um audacioso comentário que as crianças podem tolerar 100.000 vacinações (sim, você leu este número corretamente).

Contudo, durante esta temporada de gripe em particular, as autoridades governamentais de saúde podem ter tempos mais difíceis para convencer os americanos a serem vacinados contra a gripe suina se as pesquisas recentes forem indicadores confiáveis. A mais recente pesquisa da União dos Consumidores liberada em 30 de setembro mostra que quase dois terços dos pais evitarão vacinar seus filhos; O raciocínio dos cinquenta por cento que responderam é que a vacina não foi testada minuciosamente para ser segura. Uma pesquisa com mães grávidas conduzida pelo grupo de apoio de pais pelo Mumsnet.com na internet indica que as mulheres estão ficando desconfiadas sobre a verdadeira eficácia e segurança da vacina da gripe. A enquete com 1.500 entrevistados descobriu apenas 6 por cento de mulheres grávidas que "definitivamente" tomarão a injeção, enquanto 48 por cento disseram que elas "definitivamente" não tomariam. Uma pesquisa paralela revelou que somente 5 por cento certamente vacinariam seus filhos. Uma pesquisa mais recente do San Francisco Chronicle revela que 54 por cento dizem que a gripe H1N1 não é nada com que se fique preocupado.

Um estudo separado conduzido pela Escola de Saúde Pública de Harvard mostrou que entre os 41 por cento dos que não tomariam a injeção, 44 por cento dos pais estão incertos se deveriam permitir que suas crianças a recebessem. Aparte dos muitos que expressaram medo dos efeitos colaterais da vacina, a pesquisa descobriu que 31 por cento expressavam uma desconfiança em nossas autoridades de saúde pública em proporcionar informações precisas sobre a segurança da vacina. Portanto, espere uma campanha de relações públicas agressiva do governo durante as próximas semanas e até meses, enquanto os dólares de nossos impostos são gastos em 250 milhões de injeções que evidência epidemiológica independente está mostrando no melhor caso serem ineficazes, e na pior hipótese perigosa.

Pesquisas europeias indicam que nossos vizinhos do outro lado do grande lago estão menos nervosos sobre o tom de severidade do H1N1 e muito mais desconfiados da lógica das autoridades de saúde para estimular os terríveis avisos dos perigos da gripe suina. Na França, o Le Figaro conduziu uma pesquisa com 12.500 pessoas mostrando que 69 por cento recusarão a vacinação. Em uma pesquisa separada na França, um terço dos 4.752 médicos, enfermeiras e trabalhadores da saúde pesquisados não seriam inoculados. 29 por cento dos alemães pesquisados disseram que a recusariam "sob qualquer circunstância" e um adicional de 33 por cento provavelmente a recusariam. Na região da Bavária e Baden Wuttenburg, somente 10 por cento dos pesquisados disseram que submeteriam seus braços as injeções. No Reino Unido, algumas pesquisas relatadas no Daily Mail em agosto passado mostraram que metade dos médicos da família e um terço das enfermeiras do Reino Unido não querem a vacinação da gripe suina. Setenta e um por cento não acreditam que a vacina tenha sido testada o suficiente com relação a segurança e que a gripe suina é muito mais branda do que as autoridades de saúde estão dizendo.

Durante o curso de guerra de mídia do CDC para impulsionar a ganância da indústria da vacina pelo lucro, ciência e precaução meditativa estão sendo sacrificadas. Um importante estudo de revisão surgido na edição de junho de 2009 no Toxicological e Environmental Chemistry mostra uma relação casual entre as quantidades de etilmercúrio (thimerosal) encontradas em inoculações de crianças , quando administradas em macacos, e a toxidade celular resultante em disfunção mitocondrial, atividade defeituosa da redução oxidativa, degeneração e morte de células neuronais e fetais. Estes são todos sinais indicativos encontrados em alguns ASD. Mas autoridades de saúde preferem ignorar esses resultados. Para saúde futura das crianças americanas, as descobertas do estudo chegam em má hora quando um estudo recente de Harvard agora relata que o espectro das desordens de autismo (ASD) cresceu de 1 em 91 pessoas comparado com a estimativa anterior de 1 em 150. Mas desde que o estudo foi patrocinado pelo CDC, o comunicado da imprensa não traz indicação de que talvez o excesso de vacinação das crianças com dezenas de injeções na idade de 5 anos poderia ser o fator causal por trás desta epidemia nacional de ASD e outras desordens neurológicas.

Durante o curso das muitas entrevistas com pais de crianças autistas para nossos documentários Vaccine Nation and Autism: Made in the USA, as histórias pessoais que filmamos eram repetidamente as de que uma criança perfeitamente saudável e alegre que, pouco depois da vacinação ou de uma série de injeções, simplesmente deixavam de ser normais. No entanto, a política nacional de saúde hoje parece ter quase legislado por decreto divino que não há relação entre os componentes da vacina e autismo. Além disso, pesquisas independentes adicionais e histórias pessoais de primeira mão só interfeririam com a máquina de propaganda e os "a receita dos sete passos para gerar interesse em, e procura pela vacinação da gripe" do CDC.

Peter Doshi primeiro trouxe atenção pública para a estratégia de relações públicas do CDC para a gripe conhecida como a receita dos sete passos. Glen Nowalk, agora diretor das relações de mídia do CDC, esquematizou uma planilha concisa de relações públicas enquanto servia como porta voz de comunicações para o Programa Nacional de Imunização. Falando na Cúpula Nacional de Vacina da Gripe em 2004, ele apresentou os sete passos do CDC. Depois de cuidadosa revisão da apresentação de PowerPoint de Nowalk descobrimos uma campanha de relações públicas e multimídia muito detalhada e harmonizada que inclui o seguinte (citações do material do CDC):

* Encorajar a crença de que a infecção de gripe pode "ocorrer entre nas pessoas para quem a gripe não é geralmente percebida por causar sérias complicações (ex. crianças, adultos saudáveis, idosos saudáveis)." Em outras palavras, promover a vacinação da gripe para aqueles que realmente não precisam dela.
* No sentido de "fomentar a procura por vacinação da gripe" o CDC deveria ter como alvo "médicos especialistas e autoridades de saúde pública publicamente (ex. via mídia) para expressar preocupação e alarme (e predizer resultados terríveis) - e impulsionar a vacinação da gripe.
* Por concentrar-se sobre a mensagem de terríveis ameaças a saúde e fatalidades humanas sobre aqueles que realmente não precisam ser vacinados, o CDC atingirá seu marco de "dar suporte a temporada de gripe em termos de que motive comportamentos (ex. como "muito severa", "mais severa do que o último ou os anos passados", "mortal")."
* Durante toda a estação da gripe, a campanha deveria continuar emitindo relatórios "de autoridades de saúde e da mídia" para enfatizar que "a gripe está causando severa enfermidade e/ou afetando muitas pessoas - ajudando a fomentar a percepção de que muitas pessoas são suscetíveis a um caso grave de gripe".
* É claro, nenhuma estratégia de marketing é perfeita sem imagens. Por conseguinte um outro ingrediente da receita é usar "visíveis/tangíveis exemplos da seriedade da doença (ex. fotografias de crianças, famílias daqueles afetados vindo para a frente) e pessoas sendo vacinadas (o primeiro para motivar, e o segundo para reforçar)."

Os "pontos chaves" do CDC indicam que estamos agora naquele marco temporal crítico para o CDC distribuir os materiais a uma "variedade de parceiros". Isto inclui disseminar agressivamente todos os relatórios médicos, estudos e prolongar as relações públicas e para a soporífica mídia e associações médicas fundadas pelas corporações para apoiar os esforços governamentais para a vacinação em massa. Vem ai novembro, começaremos a ver relatórios sobre "mortes pediátricas" devido a gripe - embora Dr. Martin Meltzer, um especialista da CDC em economia da saúde, tenha afirmado "quase ninguém morre de gripe" e "mortes estão associadas com a gripe, mas não necessariamente causadas pela gripe". Aparentemente, as pessoas nos diversos departamentos da CDC e nossas diferentes agências federais de saúde não se comunicam muito bem umas com as outras.

Então por que os dólares de nossos impostos deveriam ir para a fabricação e/ou ignorar a ciência no sentido de vacinar os americanos? Nowalk publicamente afirmou que as razões do CDC na Rádio Pública Nacional, “... Os fabricantes estavam nos dizendo que eles não estavam recebendo muitos pedidos de vacinas para usar em novembro ou mesmo dezembro... Realmente não parecia que nós (CDC) precisávamos fazer alguma coisa para encorajar as pessoas a tomar uma injeção da gripe.

Até esse momento, estamos testemunhando um fluxo contínuo de comunicados de imprensa e artigos na mídia para convencer os americanos a sabedoria da política nacional de saúde de vacinação. O instituto nacional de alergia e doenças infecciosas (NIAID) emitiu resultados preliminares positivos de uma experiência clínica incompleta de testes da vacina H1N1 em crianças e jovens entre 6 meses e 17 anos de idade. O fato de que o estudo inteiro alistou somente 70 indivíduos cobrindo essa faixa de idade deveria sozinho levantar bandeiras vermelhas sobre quaisquer conclusões confiáveis depois do estudo ser completado. Além do mais, o estudo é especificamente projetado para medir a resposta imune necessária para proteger os jovens da gripe suina. Não é um estudo seguro. Nós normalmente esperamos que o som da ética científica exigisse que experiências clínicas fossem relatadas depois da análise final dos dados da pesquisa, contudo, a receita dos sete passos do CDC não está preocupada com fatos científicos, ou rigorosos protocolos de pesquisa. É apenas parte do plano de jogo das relações públicas para conseguir que as pessoas sejam vacinadas e fazer isso rápido.

Donald McNell, uma isca para o complexo da vacina escrevendo para o New York Times imprimiu dois artigos recentes alinhados com a propaganda do CDC. Ele cita Dr. Jay Butler, chefe da força tarefa da gripe suina no CDC com relação a aliviar os temores sobre os efeitos adversos da gripe suina., especialmente para mulheres grávidas. Dr. Butler disse, "há cerca de 2.400 abortos por dia nos Estados Unidos. Você verá que estas coisas teriam acontecido de qualquer maneira. Mas a vacina não causa abortos. Ela também não causa auto-acidentes, mas eles acontecem. Eu espero que isso reassegure a todas essas mulheres esperançosas através do país, especialmente desde que nenhuma vacina H1N1 aprovada passou experiências clínicas seguras em mulheres grávidas ou os efeitos adversos potenciais de vacinas ligadas a mercúrio e outros ingredientes, tais como espermicida, detergente e cosméticos, em fetos em desenvolvimento. A Alemanha por outro lado anunciou que agora está tomando medidas preventivas. Concordando que o veredito sobre a segurança do ethylmercúrio e esqualeno para as crianças é incerta, a Alemanha está requerendo que a indústria da vacina volte para suas fábricas e providencie lotes de vacina com aditivos livres de preservativos de mercúrio.

O artigo mais recente de McNell no New York Times de 7 de outubro deveria ser lido ao lado da receita dos sete passos para uma clara visão do desdobramento da estratégia de relações públicas do CDC em ação. McNell subestima as crescentes realizações médicas de que a gripe suina é com toda probabilidade mais moderada do que uma gripe sazonal com o sentido de nos convencer a arregaçar as mangas. Seguindo o roteiro do CDC, vemos a fotografia de uma pequena criança de 3 anos sendo vacinada, enquanto McNell compara a morte de uma mulher tibetana de 18 anos por gripe suina na China com a história do alegre jovem
e sua irmã de 9 anos alegremente rendendo suas narinas para uma rajada de vírus vivos H1N1 atenuados.

Enquanto finalizávamos este artigo, Peter Doshi respondeu um email e chamou a atenção para um evento em seu artigo da Harper que deveria nos forçar a pausar antes de arregaçarmos as mangas. Brevemente, a temporada de gripe de 2004 foi um fiasco para o complexo da vacina e para os funcionários federais de saúde depois que 50 milhões de doses de vacina para gripe prometidas pela Corporação Chiron tornaram-se indisponíveis, dessa forma, pondo a indústria da saúde em pânico. Com o objetivo de reduzir o frenesi anteriormente levantado pela tática de amedrontar o público, o CDC diminuiu a urgência da gripe para "doença irritante", e "enfatizou os benefícios protetores de uma lavagem regular das mãos".

Agora esta é uma política nacional que posso apoiar. Eu preferiria muito mais que o CDC financiasse a conta de sabão dos americanos para proteger de uma pandemia de gripe suina duvidosa do que usar os impostos para as não comprovadas ameaças do CDC para uma campanha nacional de marketing da vacina.

Richard Gale é Produtor Executivo da Progressive Radio Network e ex veterano Analista de Pesquisa da indústria genômica. Dr. Gary Null é o anfitrião do mais longo programa da rádio pública em transmissão sobre nutrição e saúde natural e um diretor de filmes de documentários progressivos ganhador de múltiplos prêmios, incluindo Vaccine Nation and Autism: Made in the USA.

Fonte: http://globalresearch.ca/index.php?





Reblog this post [with Zemanta]

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Obama Pronto a Ceder a Soberania dos EUA, afirma Lorde Britânico

US Senator Barack Obama campaigning in New Ham...Image via Wikipedia


Obama Pronto a Ceder a Soberania dos EUA, afirma Lorde Britânico.

Walter Scott Hudson | 17 Outubro 2009
Internacional - Estados Unidos

Na [Conferência sobre Mudança Climática das Nações Unidas em 2009 em] Copenhagen, em dezembro próximo, daqui a algumas semanas, um tratado será assinado. Vosso presidente [Barack Obama] vai assiná-lo. Eu li esse tratado. E o que ele diz é que um governo mundial será criado. A palavra "governo" na verdade aparece como o primeiro de três objetivos da nova entidade. O segundo objetivo é a transferência de riqueza dos países ocidentais para os do terceiro mundo, para atender ao que é chamado discretamente de "dívida climática" - porque nós temos queimado CO2 e eles não; nós bagunçamos o clima e eles não. E o terceiro objetivo dessa nova entidade, desse governo, é aplicação [enforcement].
O Minnesota Free Market Institute organizou evento na Universidade Bethel, na cidade de St. Paul, Minnesota, na noite da última quarta-feira (14/10), tendo como principal orador Lorde Christopher Monckton, que foi assessor para ciências da Primeira-Ministra britânica Margareth Thatcher. Lorde Monckton proferiu longa e cáustica palestra em que apresentou detalhados mapas, gráficos, fatos e dados que culminaram com a total destruição tanto do conceito popular de aquecimento global quanto da credibilidade da ameaça de qualquer mudança climática significativa causada pelo homem.

Resumo detalhado da apresentação de Monckton será publicado assim que compilado. No entanto, trecho de sua palestra requer publicação imediata. Se fidedigna, a preocupação veiculada por Monckton pode provar-se a questão mais importante para a nação americana - mais importante do que a reforma do sistema de saúde, do que o projeto de lei ambientalista de "cap and trade" -, a reclamar portanto a atenção concentrada de todo cidadão.

Eis as palavras finais de Monckton,conforme copiadas de minha gravação:

Na [Conferência sobre Mudança Climática das Nações Unidas em 2009 em] Copenhagen, em dezembro próximo, daqui a algumas semanas, um tratado será assinado. Vosso presidente [Barack Obama] vai assiná-lo. A maioria dos países do terceiro mundo vai assiná-lo, pois acreditam que vão ganhar dinheiro com ele. A maior parte do regime esquerdista da União Européia vai carimbá-lo. Virtualmente não haverá ninguém que não o assinará.

Eu li esse tratado. E o que ele diz é que um governo mundial será criado. A palavra "governo" na verdade aparece como o primeiro de três objetivos da nova entidade. O segundo objetivo é a transferência de riqueza dos países ocidentais para os do terceiro mundo, para atender ao que é chamado discretamente de "dívida climática" - porque nós temos queimado CO2 e eles não; nós bagunçamos o clima e eles não. E o terceiro objetivo dessa nova entidade, desse governo, é aplicação [enforcement].

Quantos de vós acreditam que a palavra "eleição" ou "democracia" ou "voto" ou "votação" aparece pelo menos uma vez nas 200 páginas do tratado? É isso mesmo: elas não aparecem nenhuma vez. Então finalmente os comunistas, que saíram correndo do muro de Berlim para dentro do movimento ambientalista, que tomaram o Greenpeace de maneira que meus amigos que o fundaram tiveram de deixá-lo um ano depois, pois [os comunistas] o tomaram - agora a hora da apoteose está próxima. Eles estão prestes a impor ao mundo um governo global comunista. Vós [americanos] tendes um presidente que tem fortes simpatias com esse ponto de vista. Ele vai assinar o tratado. Ele vai assinar qualquer coisa. Ele é ganhador do prêmio Nobel da Paz; é claro que ele vai assiná-lo.

[risos]

E o problema é o seguinte: se esse tratado for assinado, se a vossa Constituição diz que ele tem precedência sobre a Constituição[sic; quis dizer "sobre a lei interna"], e se só se pode deixar o tratado com a concordância de todos os outros membros estatais, e como os EUA são o maior pagador, não vão deixá-lo sair.

Então, obrigado, América! Tu foste o farol da liberdade para o mundo. É já um privilégio apenas pisar neste solo de liberdade enquanto ele ainda é livre. Mas nas próximas semanas, a menos que o impeçais, vosso presidente vai abrir mão de vossa liberdade, de vossa democracia, de vossa humanidade para sempre. E nem vós, nem qualquer governo futuro que elejais terá a menor condição de tomá-los de volta. É tão sério assim. Eu li o tratado. Eu vi esse negócio do governo [mundial] e da dívida climática e da aplicação [do tratado]. Eles vão fazer isso convosco, quer gostais, quer não.

Mas eu acho que é aqui, aqui na vossa grande nação, que eu tanto amo e tanto admiro - é aqui que talvez, à undécima hora, no qüinquagésimo nono segundo do qüiquagésimo nono minuto, havereis de vos erguer e de impedir vosso presidente de assinar esse tratado terrível e sem sentido. Pois não há problema algum com o clima e, mesmo que houvesse, um tratado econômico em nada o [ajudaria].

Concluo dizendo a vós as palavras que Winston Churchill dirigiu a vosso presidente na hora mais escura, antes da aurora da liberdade, na Segunda Guerra Mundial. Ele ciotu vosso grande poeta Longfellow:

Sail on, O Ship of State!
Sail on, O Union, strong and great!
Humanity with all its fears,
With all the hopes of future years,
Is hanging breathless on thy fate!

[Em frente, ó Navio do Estado!
Em frente, ó União, forte e grande!
A humanidade com todos seus temores,
Com toda a esperança dos anos vindouros,
Está suspensa, atada a teu destino!]

Lord Monckton foi aplaudido de pé e respondeu a uma série de perguntas da platéia. Dentre essas, estas são relevantes para o vindouro tratado de Copenhague:

Pergunta:A atual administração e a maioria democrata no Congresso têm mostrado pouca consideração com a vontade do povo. Eles estão tentando aprovar uma agenda de mais governo e mais impostos e encargos para as gerações futuras. E nada parece detê-los. Como o Sr. sugere que impeçamos Obama de fazer isso, porque eu não vejo como impedi-lo de assinar qualquer coisa em Copenhague. Eu acredito que essa é a sua agenda e ele o fará.

LM - Não minimizo a dificuldade. Mas nesse assunto - eu realmente não me meto em política, porque não é certo. No fim, a tua política é para ti. O procedimento correto é entrardes em contato com vossos representantes, tanto no Senado onde o projeto de lei tem de ser aprovado (e podeis tentar pará-lo) e [na Câmara] e levá-los a exigir o seu direito a uma audiência (o qual todos têm) com o presidente e contar a ele sobre esse tratado. Há muitas pessoas poderosas nesta sala, pessoas ricas, influentes. Procurai a mídia, contai-lhes sobre esse tratdo. Se fordes a www.wattsupwiththat.com, encontrareis (se procurardes com cuidado) uma cópia do tratado, pois dei um jeito de colocá-lo lá não faz muito. Lede-o e que a imprensa conte ao povo que a democracia está prestes a ser tomada dele por razão nenhuma, ao menos sem base científica [com relação à mudança climática]. Dizei à imprensa que diga o seguinte: mesmo que exista um problema [com a mudança climática] vós não desejais que vossa democracia vos seja tomada. É tão simples assim.

Pergunta: É mesmo irreversível se o tratado for assinado?Suponha que seja assinado por quem não tem autoridade pois eu tenho algum... tenho um elevado grau de ceticismo de que tenhamos um presidente válido, porque eu...

Eu conheço pelo menos um juiz que partilha a sua opinião, Sr.

Eu não acredito enquanto não o vir. Será que a [possível ilegitimidade de Obama como presidente] não poderia nos dar uma causa razoável para anular qualquer tratado que ele efetivamente assine como presidente?

Eu teria muito cuidado em não confiar em coisas como essa. Embora haja certa dúvida se ele nasceu ou não no Havaí, meu medo é que seria muito difícil provar que ele não nasceu no Havaí, e portanto talvez não sejamos capazes de chegar a algum lugar com isso. Além disso, uma vez que ele assinar o tratado, quer seja válida ou não a assinatura, uma vez que assinou e ratificou, que o Senado o ratifcar, ele se torna vinculante. Mas vou dizer uma coisa: eles sabem, na Casa Branca, que não conseguirão 67 votos no Senado, a maioria de dois terços que vossa Constituição estipula para ratificar um tratado desse tipo. No entanto, o que eles planejaram é o seguinte - e eles realmente deixaram escapar isso durante a campanha eleitoral, e é por isso que eu sei. Ele planejam colocar o tratado de Copenhague em vigor por maioria simples nas duas casas [do Congresso]. Isso eles podem fazer. Mas a vantagem disso, e nisso o Sr. tem razão, é que isso, graças a Deus, é reversível. Então eu quero que rezeis hoje à noite, e rezeis muito pelo Senado, que ele se recuse a ratificar o [novo] Tratado de Copenhague, porque se o recusarem e [Obama ] tiver de tentar aprová-lo como se fosse legislação doméstica, podeis rejeitá-lo.

Independentemente de se está ou não ocorrendo aquecimento global ou se ele é causado pela atividade humana, no em qualquer grau, nós não queremos um governo mundial com o poder de impor impostos aos americanos sem representação eletiva ou qualquer coisa análoga às proteções constitucionais. Os Pais da Pátria dariam voltas em seus túmulos se soubessem que seus descendentes conferiram tal autoridade a um poder estrangeiro, desfazendo efetivamente todos os seus esforços em um ato de Revolução Anti-Americana. Se esse é o nosso destino iminente, precisamos suspender tudo mais e nos concentrar em impedir que isso aconteça. Se cedermos a soberania americana, todos os outros debates tornar-se-ão irrelevantes.

Passando os olhos no tratado, encontrei os objetivos da nova entidade mencionados por Monckton:

38. O esquema para o novo arranjo institucional sob a Convenção será baseado em três pilares básicos: governo; mecanismo facilitativo; e mecanismo financeiro, cuja organização básica incluirá o seguinte:

Governo Mundial (título acrescentado)
(a) O governo será regido pela COP ["Climate Change Conference", Coferência sobre Mudança do Clima] com o apoio de um novo órgão subsidiário sobre adaptação e de um Conselho Executivo responsável pelo gerenciamento dos novos fundos e dos processos e órgãos facilitativos relacionados. O atual secreatriado da Convenção operará como tal, conforme apropriado.

Redistribuir Riqueza (título acrescentado)
b) O mecanismo financeiro da Convenção incluirá um fundo multilateral de mudança climática incluindo cinco janelas: (a) uma janela de Adaptação, (b) uma janela de Compensação, para tratar de perdas e danos do impacto da mudança climática [leia-se a "dívida climática a que se referiu Monckton], incluindo seguro, rehabilitação e componentes compensatórios, (c) uma janela de Tecnologia; (d) uma janela de Mitigação; e (e) uma janela REDD ["Reducing Emissions from Deforestation and Degradation", Reduzindo Emissões do Deflorestamento e Degradação], para apoiar processos multi-fásicos para incentivos positivos para florestas relacionados a ações REDD.

Com Autoridade para Aplicação [Enforcement] (título acrescentado)
O mecanismo facilitativo da Convenção incluirá: (a) programas de trabalho para adaptação e mitigação; (b) um processo REDD de longa duração;(c) um plano de ação tecnológico de curta duração; (d) um grupo de especialistas em adaptação estabelecido pelo órgão subsidiário em adaptação,e grupos de especialistas em mitigação, tecnologias e monitoramento, relatoria e verificação; e (e) um registro internacional para monitoramento, relatoria e verificação de observância dos compromissos de redução de emissões, e a transferência de recursos técnicos e financeiros de países desenvolvidos para países em desenvolvimento. O secretariado fornecerá apoio técnico e administrativo, inclusice um novo centro para troca de informações.

http://fightinwordsusa.wordpress.com/2009/10/15/obama-poised-to-cede-us-soverignty-claims-british-lord

Reblog this post [with Zemanta]

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Jornalista registra acusações contra a OMS e as Nações Unidas por bioterrorismo e intenção de cometer assassinato em massa.

İsviçre Basel'deki Novartis binasıImage via Wikipedia

Jornalista registra acusações contra a OMS e as Nações Unidas por bioterrorismo e intenção de cometer assassinato em massa.

Por Barbara L. Minton, jornalista cidadã.

(NaturalNews) - como antecipava o comunicado de julho o compromisso da Baxter na abordagem da vacine da gripe A/H1N1, uma jornalista investigativa austríaca está alertando o mundo que o maior crime na história da humanidade está em andamento. Jane Burgermeister recentemente registrou acusações criminais no FBI contra a Organização Mundial da Saúde (OMS), as Nações Unidas (ONU), e diversas das mais altas autoridades do governo e das corporações com respeito a bioterrorismo e tentativa de cometer assassinato em massa. Ela também preparou um mandado contra a vacinação forçada que foi entregue na América. Estas ações seguem suas acusações entregues em abril contra a Baxter AG e Avir Green Hills Biotechnology da Áustria por produzir vacina da gripe aviária contaminada, alegando que isto era um ato deliberado para causar e lucrar com a pandemia.

Sumário das declarações e alegações entregues ao FBI na Áustria em 10 de junho de 2009.

Em suas acusações, Burgermeister apresenta evidência de atos de bioterrorismo que estão em violação contra a lei dos Estados Unidos por um grupo operando dentro dos Estados Unidos sob a direção de banqueiros internacionais que controlam a Reserva Federal (FED), bem como a Organização Mundial da Saúde (OMS), as Nações Unidas (ONU) e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). Este bioterrorismo é com o propósito de levar a cabo um genocídio em massa contra a população dos Estados Unidos pelo uso de vírus da pandemia da gripe geneticamente modificado com a intenção de causar mortes. Este grupo tem incorporado altas autoridades do governo dos Estados Unidos.

Especificamente, é apresentada evidência de que o acusado, Barack Obama, Presidente dos Estados Unidos, David Nabarro, coordenador do Sistema das Nações Unidas para a gripe, Margareth Chan, Diretora Geral da Organização Mundial da Saúde, Kathleen Sibelius, Secretária do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, Janet Napolitano, Secretária do Departamento de Segurança Interna, David de Rothschild, banqueiro, David Rockefeller, banqueiro, George Soros, banqueiro, Werner Faymann, Chanceler da Áustria, e Alois Stoger, Ministro da Saúde da Áustria, entre outros, são parte deste sindicato corporativo criminoso internacional que tem desenvolvido, produzido, estocado e empregado armas biológicas para eliminar a população dos Estados Unidos e outros países para ganhos políticos e financeiros.

As acusações afirmam que estes acusados conspiraram uns com os outros para planejar, financiar e participar na fase final de implementação de um programa internacional secreto de bioarmas envolvendo as companhias farmacêuticas Baxter e Novartis. Eles fizeram isso modificando geneticamente e liberando agentes biológicos letais, especificamente o vírus da "gripe aviária" e o vírus da "gripe suina" com o objetivo de ter um pretexto para implementar um programa de vacinação em massa que seria o meio de administrar um agente biológico tóxico para causar morte e ferimentos às pessoas dos Estados Unidos. Esta ação está em violação direta da Lei de Armas Biológicas e Antiterrorismo.

As acusações de Burgermeister incluem evidências de que a Baxter AG, subsidiária austríaca da Baxter internacional, deliberadamente enviou 72 quilos de vírus vivos da gripe aviária, fornecidos pela Organização Mundial da Saúde no inverno de 2008 a 16 laboratórios em 4 países. Ela alega que esta evidência oferece uma clara prova de que as companhias farmacêuticas e as agências dos governos internacionais elas mesmas estão ativamente engajadas na produção, desenvolvimento, manufatura e distribuição de agentes biológicos classificados como as mais mortíferas armas biológicas da terra com o objetivo de disparar uma pandemia e causar mortes em massa.

Em suas acusações de abril, ela notou que os laboratórios da Baxter na Áustria, um dos supostamente mais seguros laboratórios de biossegurança do mundo, não aderiu a um dos mais básicos e essenciais passos para manter 72 quilos de um patógeno classificado como arma biológica seguro e separado de outras substâncias sob os rigorosos níveis das regulamentações de biossegurança, mas permitiu que fosse misturado com vírus da gripe humana comum e enviado de suas instalações em Orth no Donau.

Em fevereiro, quando um membro do quadro de Bio Test na República Tcheca testou o material dos pretensos candidatos a vacinas em furões, os furões morreram. Este incidente não foi seguido por uma investigação da Organização Mundial da Saúde, Estados Unidos, ou autoridades de saúde austríacas. Não houve investigação do conteúdo do material do vírus, e não há dados da sequência genética do vírus liberados.

Em resposta as questões parlamentares em 20 de maio, o ministro austríaco da saúde, Alois Stoger, revelou que o incidente tinha sido tratado não como uma falha de biossegurança, como deveria ter sido, mas como uma ofensa ao código veterinário. Um médico veterinário foi enviado ao laboratório para uma breve inspeção.

O dossiê de Burgermeister revela que a liberação do vírus era para ser um passo essencial para disparar uma pandemia que permitiria a Organização Mundial da Saúde declarar o nível 6 de pandemia. Ela lista as leis e decretos que permitiriam as Nações Unidas e a Organização Mundial da Saúde tomar o controle dos Estados Unidos no caso de uma pandemia. Em adição, uma legislação exigindo obediência com vacinações obrigatórias seria imposta a força nos Estados Unidos sob as condições de uma declaração de pandemia.

Ela acusa que todo o negócio da pandemia de "gripe suina" está baseado em uma mentira maciça e que não há nenhum vírus natural lá fora em condições de ameaçar a população. Ela apresenta evidência que leva a crer que o vírus da gripe aviária e da gripe suina tem, de fato, sido alterados geneticamente em laboratórios usando financiamentos fornecidos pela OMS e outras agências governamentais, entre outras. Esta "gripe suina" é um híbrido com parte suina, parte humana e parte de gripe aviária, algo que só pode vir de laboratórios de acordo com muitos especialistas.

A OMS alega que esta "gripe suina" está se espalhando e uma pandemia deve ser declarada e ignora as causas fundamentais. Os vírus que foram liberados foram criados e liberados com a ajuda da OMS, e a OMS é a grande responsável pela pandemia em primeiro lugar. Em adição, os sintomas da suposta "gripe suina" são indistinguíveis dos da gripe comum ou do resfriado. A "gripe suina" não causa morte mais frequentemente do que a gripe comum causa.

Burgermeister nota que os números de mortes relatados para a "gripe suina" são inconsistentes e não há clareza de como o número de "mortes" tem sido documentado.

Não há potencial de pandemia a menos que a vacinação em massa seja realizada como arma para a gripe sob o pretexto de proteger a população. Há razoável fundamento para acreditar que as vacinas obrigatórias serão contaminadas propositalmente com doenças projetadas especificamente para causar morte.

A referência é feita com a vacina da gripe aviária licenciada pela Novartis que matou 21 pessoas sem tetos na Polônia no verão de 2008 e tem como sua "avaliação de efeito primário" uma "taxa de eventos adversos", dessa forma adequando-se a própria definição do governo dos Estados Unidos de uma bioarma (um agente biológico projetado para causar uma taxa de eventos adversos, isto é, morte ou ferimentos) com um sistema de distribuição (a injeção).

Ela alega que o mesmo complexo de companhias farmacêuticas internacionais e agências governamentais que desenvolveram e liberaram o material da pandemia envenenaram a si mesmos para lucrar com o disparo da pandemia com contratos para fornecer as vacinas. A mídia controlada pelo grupo que está desenvolvendo a agenda da "gripe suina" está espalhando desinformação para tranquilizar o povo dos Estados Unidos na tomada da perigosa vacina.

As pessoas dos Estados Unidos sofrerão substancial e irreparável dano e ferimentos se forem forçadas a tomar esta não comprovada vacina sem seu consentimento em concordância com a Lei do Modelo Estatal de Poderes Emergenciais para a Saúde, Lei de Emergência Nacional, Diretiva Presidencial de Segurança Nacional/NSPD 51, Diretiva Presidencial de Segurança Interna/HSPD-20, e a Parceria Internacional sobre Aves e Pandemia da Gripe.

Nos Estados Unidos desde 2008, Burgermeister declara que aqueles citados em suas alegações implementaram um novo ou aceleraram a implementação de leis e regulamentos projetados para esvaziar os cidadãos dos Estados Unidos de seus direitos legais constitucionais de recusar uma injeção. Estas pessoas criaram ou permitiram que as provisões permanecessem em lugares que faz disso um ato criminoso se recusar a tomar uma injeção contra o vírus da pandemia. Eles impuseram outras excessivas e cruéis penalidades tais como aprisionamento e/ou quarentena nos campos da FEMA enquanto proíbe os cidadãos dos Estados Unidos de reclamar compensação dos danos ou mortes das injeções forçadas. Isso está em violação das leis de corrupção do governo federal e de abuso de autoridade bem como da Constituição e da Declaração de Direitos. Por estas ações, os acusados citados estabeleceram os fundamentos para um genocídio em massa.

Usando a "gripe suina" como pretexto, os acusados pré-planejaram o assassinato em massa da população dos Estados Unidos por meio da vacinação forçada. Eles instalaram uma extensa rede de campos de concentração da FEMA e identificaram locais para sepulturas em massa, e estiveram envolvidos em desenvolver e implementar um esquema para passar o poder dos Estados Unidos para um consórcio internacional do crime que usa as Nações Unidas e OMS como uma frente para atividades criminosas ilegais influenciadas por chantagistas organizados, em violação das leis que governam a traição.

Ela, além do mais, acusa que o complexo de companhias farmacêuticas consistindo da Baxter, Novartis e Sanofi Aventis são parte de um programa de armas biológicas de duplo propósito com base no exterior, financiado por um consórcio criminoso internacional e projetado para implementar um assassinato em massa para reduzir a população mundial em mais de 5 bilhões de pessoas nos próximos 10 anos. O plano deles é espalhar o pânico para justificar forçar as pessoas a desistir de seus direitos, e forçar quarentena em massa nos campos da FEMA. As casas, indústrias e fazendas e terras daqueles que forem assassinados estarão disponíveis para apropriação por este consórcio.

Pela eliminação da população da América do Norte, a elite internacional ganha acesso aos recursos naturais tais como água e áreas de petróleo subaproveitadas. E pela eliminação dos Estados Unidos e sua constituição democrática pela submissão dele a União Norte Americana, o grupo criminoso internacional terá total controle sobre a América do Norte.

Destaques do dossiê completo

O dossiê completo da ação de 10 de junho é um documento de 69 páginas apresentando evidências para provar todas as acusações. Isto inclui:

O plano de fundo dos fatos que delineiam as linhas de tempo e fatos que estabelecem as causas prováveis, as definições e papéis das Nações Unidas e da Organização Mundial da Saúde, a história e os incidentes de abril, e a explosão da "gripe suina em 2009.

Evidências de que as vacinas da "gripe suina" são definidas como armas biológicas como delineiam as agências do governo e as normas de classificação e restrição de vacinas, e o medo de países estrangeiros de que as vacinas da "gripe suina" serão usadas para guerras biológicas.

Evidência científica de que o vírus da "gripe suina" é um vírus artificial (geneticamente modificado).

Evidência científica de que a "gripe suina" foi modificada geneticamente para assemelhar-se com o vírus da gripe espanhola de 1918 incluindo citações da gripe suina de 2009 é o Vírus da Gripe Espanhola de 1918 usado como arma de A. True Ott, PHD, N.D, e um relatório da Revista Ciência do Dr. Jeffrey Taubenberger et. al.

A sequência do genoma da "gripe suina".

Evidência da soltura deliberada da "gripe suina" no México.

Evidência do envolvimento do Presidente Obama que delineia sua viagem ao México que coincidiu com a explosão recente da "gripe suina" e a morte de diversas autoridades envolvidas nesta viagem. A alegação é de que o Presidente nunca foi examinado para "gripe suina" porque ele já havia sido vacinado anteriormente.

Evidência do papel da Baxter e da OMS na produção e liberação do material do vírus da pandemia na Áustria inclui uma declaração de um funcionário da Baxter afirmando que o vírus H5N1 distribuído acidentalmente na República Tcheca foi recebido do centro de referência da OMS. Isto inclui o delineamento de evidências e alegações das acusações de Burgermeister registradas em abril na Áustria que estão atualmente sob investigação.

Evidências de que a Baxter é um elemento de uma rede secreta de armas biológicas.

Evidências de que a Baxter contaminou deliberadamente o material da vacina.

Evidências de que a Novartis está usando as vacinas como armas biológicas.

Evidências do papel da OMS no programa de armas biológicas.

Evidências da manipulação de dados de doenças pela OMS com o objetivo de justificar a declaração de pandemia nível 6 para apossar-se do controle dos Estados Unidos.

Evidências do papel da FDA no acobertamento do programa de bioarmas.

Evidências do papel do Laboratório Nacional de Microbiologia do Canadá no programa de bioarmas.

Evidências do envolvimento de cientistas que trabalham para NIBSC e a CDC da Inglaterra no desenvolvimento da "gripe suina".

Evidências de que as vacinações causaram a mortífera gripe espanhola de 1918 incluindo a crença do Dr. Jerry Tennant de que o uso desenfreado da aspirina durante o inverno que se seguiu ao fim da I Guerra Mundial pode ter sido o fator chave contribuinte para antecipar a pandemia por suprimir o sistema imunológico e baixar as temperaturas corporais, permitindo ao vírus da gripe se multiplicar. Tamiflu e Relenza também baixam as temperaturas do corpo, e da mesma forma também se pode esperar que contribuam para espalhar a pandemia.

Evidências da manipulação da estrutura legal para permitir assassinato em massa com impunidade.

Questões constitucionais: A legalidade vs. a ilegalidade de pôr em perigo a vida, a saúde e o bem público pela vacinação em massa.

A questão da imunidade e compensação como evidência da intenção de cometer um crime.

Evidência da existência de um consórcio corporativo internacional do crime.

Evidência da existência dos "Illuminati"

Evidências da agenda de despopulação dos Illuminati/Bilderberg e seu envolvimento do planejamento e soltura vírus artificial da "gripe suina".

Evidências de que o uso da gripe como arma foi discutido na reunião anual do grupo Bilderberg em Atenas de 14/17 de maio de 2009, como parte de sua agenda de genocídio, incluindo uma lista de participantes que, de acordo com uma declaração uma vez feita por Pierre Trudeau, viam a si mesmos como superiores ao resto da humanidade.

A mídia está mantendo os americanos sem a mínima ideia da ameaça que paira sobre eles.

Jane Burgermeister tem dupla nacionalidade irlandesa/austríaca e já escreveu para a Nature, para o Jornal Médico Britânico, e para o Perspectiva Americana. Ela é a corresponde europeia do website Mundo da Energia Renovável. Ela tem escrito extensamente sobre mudanças climáticas, biotecnologia e ecologia.

Em adição as acusações correntemente sob investigação que ela registrou contra a Baxter AG e Avir Green Hills Biotechnology em abril, ela registrou acusações contra a OMS e Baxter entre outras relativas a casos de explosão de garrafas de "gripe suina" encaminhadas para um laboratório de pesquisa em um trem da agência de inteligência lotado na Suíça.

Em sua visão, o controle da mídia pela elite governante tem permitido ao consórcio mundial do crime avançar sua agenda sem pausa enquanto o restante das pessoas permanece no escuro sobre o que realmente está acontecendo. Suas acusações são uma tentativa de contornar este controle da mídia e trazer a verdade à luz.

Sua maior preocupação é que "a despeito do fato de que a Baxter tenha sido pega em flagrante perto de disparar uma pandemia, eles ainda estão indo adiante, juntamente com companhias farmacêuticas aliadas, com o fornecimento de vacinas para a pandemia." A Baxter está se apressando para ter essa vacina no mercado em algum momento de julho.

Fonte: www.naturalnews.com/026503_pandemic_swine_flu_bioterrorism

Nota: Todas essas informações podem ser encontradas na internet, mas por que não se debate isso publicamente já que diz respeito a toda a população?

Onde está a imprensa dita livre, que vocifera quando Israel se defende de pessoas que dizem abertamente que querem destruí-lo, mas que não dão uma nota sobre uma questão tão importante?

Alguns dirão que isso é apenas mais uma teoria da conspiração, mas e se a conspiração não for uma teoria?


Reblog this post [with Zemanta]

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

A SWAT incursiona contra...Orquídeas

The LAPD SWAT was the first in the nation.Image via Wikipedia

A SWAT incursiona contra... Orquídeas

Por Radley Balko
05/10/2009

O serviço de proteção a pesca vida selvagem dos Estados Unidos também tem sua própria equipe da SWAT.

Você não precisa saber. Você não pode saber. "Foi isso que foi dito a Kathy Norris, uma avó de 60 anos e oito netos, quando tentou perguntar aos oficiais de justiça por que, no dia anterior, agentes federais sujeitaram sua casa a uma furiosa busca.

Os agentes que gastaram quase metade dia vasculhando a casa da senhora Norris em Spring, Texas, não responderam a nenhuma pergunta enquanto esvaziavam armários, arrancavam livros das estantes, puxavam gavetas e armários e jogavam o conteúdo no chão.

Os seis agentes, usando equipamentos da SWAT e portando armas, estavam com - saca essa - o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos Estados Unidos.

Kathy e George Norris viveram sob o espectro de uma investigação secreta do governo por quase seis meses antes que o governo mostrasse uma acusação secreta e revelasse o porquê o Serviço de Pesca e Vida Selvagem tinha tratado o lar da família deles como se fosse a base de treinamento para suspeitos de terrorismo. Orquídeas.

É isso mesmo. Orquídeas.

Em março de 2004, promotores federais estavam bem no caminho de tornar o aposentado George Norris de 66 anos em um interno de uma penitenciária federal - baseado em seu negócio doméstico de cultivar, importar e vender orquídeas.

O senhor Norris acabou passando quase dois anos na prisão porque não tinha os documentos apropriados para algumas das muitas orquídeas que ele importava. As orquídeas eram todas legais, mas o Sr. Norris e os transportadores além-mar que tinham embalado as flores tinham falhado em embarcar as muitas, e frequentemente irracionais, papeladas requeridas que os Estados Unidos exigem quando implementou um tratado internacional secreto com novas restrições ao comércio de flores e outros produtos da flora.

O juiz que sentenciou o Sr. Norris tinha um conselho para ele e sua esposa: "A vida ás vezes nos presenteia com limões." O trabalho deles era, sim, "transformar os limões em limonada."

Ou apenas esperar pela inevitável equipe da SWAT vir e esmagá-los para você.

Fonte: www.reason.com

Nota: As leis de cunho ambiental estão invadindo todos os países, e por mais irracionais que possam ser estão sendo implementadas a ferro e fogo.

A vida de um animal silvestre ou de uma planta é mais importante do que a vida humana. Aqui mesmo no Brasil já aconteceram algumas aplicações das leis de proteção aos animais que são tão insanas quanto as do artigo acima. Isto é a regra e não a exceção. Infelizmente!





Reblog this post [with Zemanta]