quarta-feira, 7 de abril de 2010

Escravizando a raça humana com a tecnologia do microchip


Escravizando a raça humana com a tecnologia do microchip

Por Melvin Sickler

Publicado por MichaelJournal.org

Por anos tem sido lei em Toronto, Ontário, que todos os animais domésticos têm de ser microchipados assim os donos poderão ser localizados em casos desses animais se perderem. Então na província de Quebec, foi passada uma lei requerendo que todos os animais das fazendas fossem microchipados se quisessem vendê-los no mercado. Isso era para saber a procedência e ficar de olho em cada animal do nascimento até que ele seja abatido.

O cartão inteligente existe há vários anos. Ele é do tamanho de um cartão de crédito regular, exceto que ele contém um microchip do tamanho de um grão de arroz. Ele é um cartão de conveniência, porque você pode colocar sua conta bancária nesse microchip e comprar e vender a seu bel prazer. Mas, é claro, se você perder esse cartão, você perderá a conta bancária que ele contém.

Mas foi depois dos ataques de 11 de setembro que a tecnologia do microchip realmente se tornou desenvolvida em todas as formas.

A máquina de imagem de dedo

Em maio de 2002, foi relatado em Houston, Texas, que os fregueses da loja Kroger estavam comprando suas mercadorias sem dinheiro, cheque, nem cartão de crédito, mas estavam usando uma nova máquina chamada Secure Touch-n-Pay (algo como seguro toque e pague). É uma máquina de imagem de dedo, oficialmente conhecida como sistema biométrico eletrônico de processamento de transação financeira. A impressão digital é escaneada e as compras são automaticamente debitadas de sua conta.

Foi também em maio de 2002 que foi anunciado que pelo implante de eletrodos da espessura de um fio de cabelo nos cérebros de ratos, cientistas americanos criaram roedores controlados remotamente que podiam ser comandados para virar, subir, pular ou passar por pilhas de entulho, um avanço que eles dizem que poderia algum dia ajudar nos esforços de busca e resgate.

A Nova Carteira de Identidade Digital

Em setembro de 2002, uma nova carteira de Identidade Digital foi apresentada, que eventualmente será imposta a todos os cidadãos americanos. Na parte superior esquerda dessa carteira estão as palavras "Identificação dos Estados Unidos" com a letras USID. Depois as palavras "Departamento de Segurança Interna" aparecem, sob as quais está o número de seguro social, e sob este, a data de nascimento. Depois há o nome do indivíduo com estatística básica incluindo a cidade de residência. Na Parte direita da carteira há uma foto gravada a laser com o dispositivo de identificação de rádio frequência na testa do indivíduo.

Mais de 30 países, da Itália a Malásia, já apresentaram carteiras de identidade "inteligentes" como essa. Espera-se que visitantes estrangeiros que queiram visitar os Estados Unidos tenham esse tipo de carteira para estarem habilitados a entrarem no país.

O VeriChip

Em outubro de 2002 a Applied Digital Solutions lançou uma campanha nacional para promover o VeriChip, um microchip do tamanho de um grão de arroz, mas que pode ser implantado em humanos. Um seleto grupo de pessoas já foi "chipado" com dispositivos que abrem portas automaticamente, ligam luzes, e desempenham outros milagres de baixo nível.

O pesquisador Kevin Warwick da Universidade Reading na Inglaterra é um desses indivíduos proeminentes que é um proponente importante dos usos potenciais quase ilimitados de tais chips. A família Jacobs de Boca Raton, Flórida, também teve fama nos noticiários nacionais por ter sido microchipada.

Etiquetas RFID

Há também uma nova tecnologia de rastreamento que será usada para etiquetar cada produto no mundo. O nome genérico para esta tecnologia é RFID, que representa os chips para identificação por rádio frequência. As etiquetas RFID foram a princípio encolhidas para a metade do tamanho de um grão de arroz.

Em 14 de fevereiro de 2007 a Hitachi apresentou os menores e mais finos chips RFID do mundo, que medem apenas 0,05x0, 05 milímetros. O dono do record anterior, o mu-chip da Hitachi, é de apenas 0,4x0,4 milímetros. Dê uma olhada, na figura, no tamanho da etiqueta mu-chip RFID na ponta de um dedo humano. (Sim, é a minúscula mancha preta!)

Agora, compare este com as novas etiquetas RFID. As etiquetas "tipo pó" são umas sessenta vezes menores (do que aquele reproduzido na figura acima). Os novos chips RFID têm uma memória ROM de 128 bits para armazenar um número exclusivo de 38 dígitos, como seus predecessores. Eles ouvem uma consulta por rádio e respondem transmitindo seus códigos exclusivos de identificação. Assim que você sai de uma loja com itens que têm suas etiquetas de RFID, os leitores de RFID nas portas registrarão os itens que você comprou, automaticamente faturando da sua conta sem o recurso do dinheiro. Computadores na porta também pegarão seu chip habilitado com GPS para sua identidade e comparam seu código e-PC para faturar sua conta.

Esses dispositivos poderão também ser usados para identificar e rastrear pessoas. Por exemplo, suponha que você participou de algum tipo de protesto ou outra atividade organizada. Se as agências de polícia dispersarem essas etiquetas ao redor, cada indivíduo poderá ser rastreado e mais tarde identificado a vontade com poderosos escaneadores de etiquetas. Esse novo RFID "pó" é tão pequeno que pode ser usado em qualquer produto, ou ser incorporado em papel fino, como aquele usado em dinheiro.

Mais microchipagem de humanos

Agora foi relatado na edição de 9 de janeiro de 2007 do "The Canadian" em um artigo de Lucien Desjardins que médicos nos Estados Unidos e Europa estão secretamente propondo ter microchips implantados em recém nascidos. Foi revelado pela Dra. Kilde que o então primeiro ministro Olof Palme da Suécia já tinha dado permissão em 1973 para implantar em prisioneiros e o ex-diretor da inspeção de registros Gen. Jan Freese revelou que os pacientes de casas de repouso foram implantados em meados dos anos 80.

Uma coisa ruim sobre ter microchips implantados em alguém é o fato de que você poderá assim ser seguido em qualquer lugar do mundo. De acordo com a Dra. Kilde, "Os microchips de hoje operam por meio das ondas de rádio de baixa frequência que os atingem. Com a ajuda de satélites a pessoa implantada pode ser rastreada em qualquer lugar do globo." De acordo com a Dra. Kilde, as funções cerebrais também podem ser remotamente monitoradas por supercomputadores e até alteradas através da mudança das frequências.

O plano global

Há alguns meses atrás, o diretor de filmes e documentários Aaron Russo afirmou em uma entrevista de rádio que ele foi abordado por Nick Rockefeller e convidado a se juntar ao Conselho de Relações Exteriores (CFR). Russo se recusou, mas perguntou a Rockefeller: "Qual o significado de tudo isso? Você tem todo dinheiro do mundo que precisa, você tem todo poder que precisa, então qual é o significado, qual é o objetivo afinal?" Rockefeller respondeu (parafraseando): "A meta final é ter todo mundo chipado, para controlar a sociedade inteira, para ter os banqueiros e as pessoas da elite controlando o mundo."

Alguns podem argumentar que não há maneira de toda população aceitar ser microchipada, que soa muito como uma fantasia de ficção científica. Mesmo assim nós sabemos que isso é exatamente o que o programa de um só povo do mundo é!

Possíveis abordagens

Então qual tipo de abordagem eles tomarão para nos fazer aceitar o microchip? Kevin Haggerty escreveu um artigo intitulado "Uma geração é tudo que eles precisam" na edição de 10 de dezembro de 2006 do Toronto Star, dando um cenário de chips sendo primeiro implantados em membros de grupos estigmatizados como pedófilos, terroristas, traficantes de drogas, pessoas que a sociedade considera serem os "piores dos piores". Então os indivíduos acusados serão rotulados para impedí-los de fugir da justiça. Prisioneiros darão as boas vindas a esse desenvolvimento, uma vez que somente presidiários chipados serão elegíveis para condicional, liberação de fim de semana, ou punição física.

Mas isso somente cobrirá um pequeno segmento da sociedade. Outros grupos estigmatizados terão como consequência de ser atingidos, como aqueles na assistência social, por exemplo. Os receptores da assistência social precisarão ser monitorados para reduzir a fraude, aumentar a eficiência e assegurar que os pobres não recebam benefícios "imerecidos".

Empregados começarão então a esperar implantes como condição para conseguir um trabalho. Os militares americanos liderarão o caminho requerendo chips para todos os soldados como meio de melhorar o comando e controle no campo de batalha - e identificar restos humanos.

Depois o grande setor de segurança seguirá. Guardas de segurança, oficiais de polícia e funcionários do sistema correcional espera-se que todos terão um chip. Indivíduos com trabalhos sensíveis se encontrarão na mesma posição. A mídia então provavelmente forjará um caso sobre uma criança que foi abduzida e abusada ou assassinada de modo que os pais vão querer que todas as suas crianças sejam chipadas. Hospitais então começarão a requerer um chip a fim de permitir tratamento médico.

Negócios especiais serão oferecidos aqueles que estão chipados. Companhias oferecerão descontos para indivíduos que pagarem usando fundos guardados em seus chips embutidos.

A nova tecnologia doméstica exigirá um chip para operar os apetrechos domésticos do dia a dia. Encontrar um computador ou um dispositivo que funcione através da antiquada tecnologia de "uso das mãos" se tornará progressivamente mais difícil. Ter um chip terá de ser quase um dever para participar nas principais dinâmicas da vida moderna, como fazer compras e dirigir.

Aqueles que ainda recusarem a receber um chip serão acusados de tentar esconder alguma coisa. Eles terão também de constantemente lidar com atrasos e inconvenientes reservados para os não chipados.

Depois, como um último recurso, aqueles que ainda se recusarem a receber um chip serão declarados inimigos do estado e levados para campos especiais onde serão torturados e mesmo assassinados se eles não se submeterem ao "anticristo" que exigirá que todos os habitantes da terra sejam chipados. Então o que pode começar como sendo supostamente uma coisa boa terminará se tornando um caminho para escravizar a humanidade.

Fonte: http://www.michaeljournal.org/enslaving.asp


Reblog this post [with Zemanta]

Um comentário:

Anônimo disse...

ISSO E APENAS UMA FASE DE VARIAS ETAPAS POIS CREIO EU QUE A HUMANIDADE DE MENTE FRAGIL E AMNÉSICA
NAO SE DARA CONTA DE QUE A PROFRECIA DO LIVRO DE REVELAÇOES APOCALYPSE JA ESTA ENTRE NOS ,,, COMO EXPLICAM ENTAO ESSES ACONTECIMENTOS ??

As 4 fases do Projeto Blue Beam