quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

CHIP IMPLANTADO SOB PELE PERMITE AO USUÁRIO ABRIR PORTAS, DESLIGAR LUZES, ACESSAR A NET E UMA SÉRIE DE OUTRAS COISAS APENAS COM GESTOS, SEM TOCAR NAS COISAS

O implante de chips em seres humanos já é uma realidade. Esta semana, uma pesquisa realizada pela empresa de tecnologia Cisco Systems mostrou que cerca de um quarto dos profissionais entre 18 e 50 anos seriam voluntários para receber um implante cerebral que lhes permitisse unir instantaneamente seus pensamentos com a Internet.
Entre outras conclusões, o relatório revela que até 2020, a maioria dos profissionais acredita que os smartphones e os “wearables” (computadores vestíveis) serão os dispositivos mais importantes na força de trabalho.
Na verdade, a tecnologia já existe e está sendo testada em diferentes países. Em setembro, um grupo de australianos inseriu microchips sob a pele para poderem controlar dispositivos eletrônicos apenas com um movimento.
Ben Slater, diretor de publicidade para a Apple na Austrália, tornou-se famoso por demonstrar como os smartphones interagem com quem já usa um chip com a tecnologia RFID (Identificação por Radio- Frequência). Do tamanho de um grão de arroz, o implante subcutâneo permite que o usuário possa abrir portas, ligar e desligar luzes e uma série de outras coisas apenas com gestos, sem precisar tocar nas coisas.
O celular identifica o movimento e se “comunica” com os objetos, numa simbiose que até recentemente só era possível se ver em algum filme de ficção. Sua ação foi uma maneira de promover o lançamento do IPhone 6 na Austrália e mostrar de que maneiras o telefone se comunica com os chips.
Veja esse vídeo:
Além de Slater e outros australianos, a tecnologia também ganhou adeptos na Suécia. Durante a conferência SIME 2014, realizada este mês em Estocolmo, voluntários suecos implantaram chips similares, que permitem a interação com aparelhos eletrônicos.
Emilott Lantz, 25, é parte de um grupo de cerca de 100 pessoas que vivem com um microchip de tecnologia RFID. Durante a SIME, onde foi debatido e apresentado os mais recentes avanços na área de tecnologia, todos os participantes interessados receberam o implante do microchip de graça. Trata-se do mesmo tipo comumente usado para rastrear animais de estimação.
O diferencial é que eles estão programados para servirem aos seres humanos como substitutos de chaves e senhas. Para Lantz, além da curiosidade, esse foi o principal motivador. Agora, ela não precisará carregar tantas chaves como de costume.
“A tecnologia não é nova, mas o assunto torna-se sensível apenas porque é no corpo humano”, disse ela. “Eu não me sinto como se isso fosse o futuro – este é o presente. Para mim, é estranho que não vimos isso ser usado antes”, conclui.
Nos Estados Unidos, um homem chamado Robert Nelson inseriu chips com a tecnologia NFC, a qual permite a troca de dados por aproximação, nas duas mãos. Uma reportagem do site ‘Ubergizmo’, mostra que Nelson já conseguiu simular pagamentos, pois é a mesma tecnologia usada no pagamento por smartphones.
De acordo com RT News esse mesmo tipo de chip NFC foi implantado por um grupo de holandeses. Eles fazem parte de um experimento comandado pelo empresário Martijn Wismeijer. Através de estruturas de vidro “biocompatíveis”, ele conseguiu implantar dois chips nas mãos que são capazes de armazenar e realizar transações com a moeda virtual “bitcoin”. Ou seja, ele literalmente não precisa mais de dinheiro ou cartões de crédito para fazer compras.
Co-fundador da empresa MrBitcoin, que é especializada em negociações com moedas virtuais, ele explica que os chips se comunicam com qualquer smartphone que rode o sistema Android. “O terminal de pagamento continua sendo o telefone, mas é possível transferir bitcoins a partir dos chips”, explica.
Veja esse video:
Em vários países desenvolvidos, os benefícios de se usar chips (com fins medicinais ou não) são bastante debatidos entre os adeptos do trans-humanismo, também chamado de Humanidade +.
Esse movimento filosófico deseja explorar as inovações da ciência e tecnologia e sua relação com a humanidade. Seu objetivo é fazer a humanidade vencer as barreiras do organismo e prolongar a vida indefinidamente. O assunto foi tratado de maneiras diferentes em dois filmes lançados este ano: “Lucy”, estrelado por Scarlett Johansson, e “Transcendence – A Revolução”, com Johnny Depp. 
O uso do biochips pode parecer novidades, mas há cerca de 300 mil pessoas que já usam esses dispositivos no mundo todo. A Veriteq Corp, fabricante de biochips nos Estados Unidos, já tem aval da  Food and Drug Administration (FDA) e já comercializada três modelos de dispositivos.
No Brasil não há fabricantes desses dispositivos, mas alguns brasileiros já estão usando para abrir carros e conectar computadores como é o caso de Raphael Bastos, de 28 anos.
Morador de Belo Horizonte (MG) o jovem conseguiu implantar um biochip que lhe permite destravar computadores, passar por catracas, destrancar portas e ligar o carro apenas encostando a mão esquerda em um leitor.
Bastos conseguiu adquirir um biochip através da loja Dangerous Things, um site especializado em comercializar esses dispositivos. Com 99 dólares é possível comprar o aparelho e ainda seringas especiais e bisturis que devem ser usados para a implantação do produto.
Fonte: http://www.umaalmasedenta.com

sábado, 6 de dezembro de 2014

Impressionantes Declarações de Putin às Elites Ocidentais sobre a Nova Ordem Mundial


Club Orlov
 


Há discursos que acabam deixando a sua marca na história. O extraordinário discurso de Vladimir Putin na conferência de Valdai em Sochi dias atrás pode ser um deles.

Os meios de comunicação ocidentais fizeram todo o possível para ignorá-lo ou alterar o seu significado, mas independentemente do que você pensa sobre Putin, se é a favor ou contra, este é o discurso político mais importante desde o discurso de Winston Churchill em 5 de março de 1946, o qual popularizou o termo "Cortina de Ferro".

Neste discurso, Putin mudou abruptamente as regras do jogo.


Até agora, o jogo da política internacional era jogado da seguinte maneira: os políticos faziam declarações públicas, a fim de manter uma ficção agradável de soberania nacional, mas era somente uma farsa e não tinha nada a ver com o conteúdo da política internacional, entretanto, participavam de negociações secretas, nas quais estabeleciam os verdadeiros acordos.

Até o momento, Putin tratou de jogar este jogo, esperando que a Rússia fosse tratada como um igual. Mas estas esperanças desapareceram e nesta conferência ele declarou que o jogo acabou, violando de maneira explícita o tabu ocidental de falar diretamente às pessoas sobre os chefes dos clãs das elites e dos líderes políticos que dominam.
O blogueiro russo Chipstone, resumiu os pontos mais importantes do discurso de Putin da seguinte maneira:

1 - A partir de agora, a Rússia deixa de jogar e de participar de negociações a portas fechadas sobre insignificâncias. No entanto, a Rússia está preparada para estabelecer conversações e acordos sérios, se estas conduzirem a um cenário de segurança coletiva, baseada na justiça e levar em conta os interesses de ambas as partes.


2 - Neste momento, todos os sistemas de segurança coletiva mundial estão destruídos. Já não há nenhuma garantia de segurança internacional em absoluto. E a entidade que a destruiu tem um nome: EUA.


3 - Os construtores da Nova Ordem Mundial tem fracassado, pois a única coisa que têm construído é um castelo na areia. Acreditar ou não acreditar na Nova Ordem Mundial, seja o que for, não é uma decisão que pertence à Rússia, mas o que está claro é que não é uma decisão que pode ser tomada sem contar com a Rússia.


4 - A Rússia fornece uma abordagem conservadora ao que se refere a uma introdução de inovações de ordem social, mas não se opõe à pesquisa e à discussão de tais inovações, para decidir se a introdução de qualquer destas inovações podem ser justificadas.


5 - A Rússia não tem intenção de ir pescar em águas turbulentas e nas águas turvas criadas pela perpétua expansão do "império do caos" dos EUA e não tem nenhum interesse na construção de um novo império próprio (para a Rússia isso é desnecessário; os desafios da Rússia se concentram no desenvolvimento de seu vasto território). A Rússia tampouco está disposta a atuar como salvadora do mundo, como já disse no passado.


6 - A Rússia não tentará reformar o mundo à sua própria imagem e interesse, mas tampouco permitira que qualquer pessoa a reforme à sua imagem e interesse. A Rússia não se fechará para o resto do mundo, mas qualquer pessoa que tente excluir a Rússia do resto do mundo, pode estar certa que enfrentará um vendaval.


7 - A Rússia não deseja que o caos se espalhe, não quer guerra, e não tem intenção de iniciar nenhuma. No entanto, hoje em dia a Rússia vê a eclosão da guerra mundial como quase inevitável, está preparada para ela e continua preparando-se para ela. A Rússia não faz guerra, mas não a teme.


8 - A Rússia não tem intenção de tomar um papel ativo em frustar os planos daqueles que todavia estão tratando de construir a sua desejada Nova Ordem Mundial, a não ser que seus esforços comecem a afetar os interesses fundamentais da Rússia. A Rússia prefere esperar pacientemente e assistir ao espetáculo ao ver como eles mesmos vão se golpeando e provocando tantos calombos em suas pobres cabeças o quanto podem suportar. Mas aqueles que tentarem arrastar a Rússia para este processo, desprezando seus interesses, enfrentarão o verdadeiro significado da palavra dor.


9 - E sua representação exterior, e mais ainda, sobre a política interna chave, o poder da Rússia não se baseia nas elites e nem em suas negociações a portas fechadas, e sim na vontade do povo.

A estes nove pontos nós gostaríamos de acrescentar um décimo:

10 - Ainda existe a oportunidade de construir uma Nova Ordem Mundial que evite a eclosão de uma guerra mundial. Esta Nova Ordem Mundial, necessariamente inclui os EUA, mas somente poderão fazê-la se os EUA aceitarem participar das mesmas condições que todos os demais: sujeitos à lei internacional e aos acordos internacionais; abstendo-se de realizar ações unilaterais; e com pleno respeito pela soberania das outras nações.

Resumindo tudo:

O tempo da brincadeira acabou. Crianças, guardem os seus jogos. Agora é a hora que os adultos tomam as decisões.
A Rússia está pronta para isto: o mundo?